O tema que ora abordo é de tão importante significado que lhe imprimo status de um dos principais temas abordados neste site. Não podia ser diferente, além dos aspectos psicológicos que enfrenta qualquer pessoa divorciando, o IBGE constatou um significativo aumento na taxa geral de divórcio

BulletLeia Aqui a Pesquisa.

No ano de 2010, a taxa de divórcio foi de 1,8 por mil habitantes, 243.224 casais se divorciaram e 67.623 pessoas se separaram. Aí está a importância do tema.

Aspectos sociais e culturais advindos da evolução comportamental da sociedade contribuem para esse aumento, mas o principal fator que leva ao crescente número de divórcios é a facilidade legal hoje existente para o casal divorciar-se.

Hoje, se for amigável e o casal não tiver filhos menores, o divórcio é feito extrajudicialmente, em cartório, sem a necessidade de processo judicial. E mais, ainda que os divorciandos optem pela via judicial não há mais as antigas exigências, como a separação judicial necessária antes do divórcio ou prazos para autorizar o divórcio. A interferência do Estado na vontade de divorciar-se é bem menor que antes de 2010.

Por isso, tenho esse como um dos principais temas abordados neste site. Meu objetivo principal aqui é explicar, em linguagem acessível, os direitos, as obrigações, e os procedimentos pertinentes ao direito de família, para a família.

Mais uma vez lembro que não irei prestar consultoria jurídica aqui. Lembro que é indispensável e de suma importância consultar um advogado de sua confiança. Conversar com advogado é coisa para se fazer pessoalmente e nunca por telefone ou e-mail.