Entenda o caso: Com o falecimento da mãe, abriu-se processo de inventário para dividir a herança entre os irmãos “A” e “B”. No curso do inventário o irmão “B” morre. Como “B” não tinha esposa nem deixou filhos e nem tinha testamento, pela ordem legal, os irmãos (colaterais) tornam-se herdeiros, assim “A” deveria receber a herança.

Ocorre que o pai de “A” e “B” teve outras três (3) filhas em outro relacionamento (“C”, “D” e “E”), assim elas seriam herdeiras concorrendo com “A” na herança do irmão “B”.

 Pela regra do art. 1.841. do Código Civil, quando concorrem na herança irmãos bilaterais (irmãos com o mesmo pai e mesma mãe) com irmãos unilaterais (conhecidos como meio-irmão, irmãos só de pai ou só de mãe), cada um dos unilaterais herdará metade do que cada bilateral herdar.

 Assim, como ficou a divisão dos bens de “B” no caso acima exemplificado:

    Herdeiro         Quotas da herança    
“A” 2/5
“C” 1/5
“D” 1/5
“E” 1/5

 

Do total de bens deixados por “B”, 2/5 da herança são destinados ao irmão bilateral “A” e 1/5 para cada meia-irmã.